SALTO DO YUCUMÃ O MAIOR SALTO LONGITUDIN

OSÓRIO:

Interação entre Serra e Litoral

No município de Osório, os turistas podem contemplar os atrativos naturais da interação entre a encosta da Serra Gaúcha e a Planície Costeira do litoral norte (Figura 1).

Na encosta da Serra Gaúcha é possível vislumbrar a paisagem da região a partir do mirante do Morro da Borússia. A vista panorâmica proporciona uma visão privilegiada da Planície Costeira, permitindo observar o mar, rio Tramandaí e as dunas e lagoas da região (Figura 2). Para os turistas que buscam maior contato com a natureza, no Morro da Borússia existem trilhas ecológicas e cascatas ao longo do Arroio Caraá.

Figura 1.jpg

Figura 1. Morro da Borússia observado a partir da Lagoa do Peixoto. Fonte: GeoRoteiros.

Figura 2.jpg

Figura 2. Vista do Mirante no Morro da Borússia. Ao fundo o litoral que está a uma distância de aproximadamente 24 km e mais próximo à série de lagoas formadas durante os avanços e recuos do nível do mar ao longo do tempo geológico. Fonte: GeoRoteiros.

Geologia na Encosta da Serra Gaúcha – Morro da Borússia

Com relevo caprichosamente esculpido por processos geológicos, o imponente Morro da Borússia registra a evolução de eventos que formam a encosta da Serra Gaúcha. Com altitude máxima de 400 metros, este morro é formado por rochas sedimentares e vulcânicas desenvolvidas durante o final do Mesozoico.

 

Geologia observada a partir do Mirante – Planície Costeira

A Planície Costeira do Rio Grande do Sul é composta por sedimentos depositados nos últimos milhares de anos, a partir do mirante é possível observar o registro de dois eventos geológicos relacionados às subidas e descidas do nível do mar (Sistemas Laguna-Barreira III e IV), relacionados a eventos climáticos.

Conhecer para Preservar

Divulgar o conhecimento geológico, incentivando o turismo, é uma maneira de conscientizar a comunidade e os visitantes da complexidade dos eventos geológicos que moldaram as belezas naturais da região.

A conservação ambiental da área do município de Osório, bem como sua divulgação para fins educacionais, é de suma importância. Isso se deve ao fato de que essa região registra eventos geológicos marcantes na história do Rio Grande do Sul, bem como a transição entre duas províncias geográficas do RS (a Serra Gaúcha e a Planície Costeira).

Ao visitar o Morro do Borússia, o turista tem a oportunidade de conhecer as riquezas da biodiversidade do bioma Mata Atlântica; por meio da conservação ambiental proporcionada pela Área de Proteção Ambiental (APA) Municipal de Osório.

Localização:

Leitura Recomendada

  • ASSINE, M.L.; PIRANHA, J.M. e CARNEIRO, C.D.R. Os paleodesertos Pirambóia e Botucatu. In: ALMEIDA, F.F.M., Geologia do Continente Sul Americano: Evolução da Obra de Fernando Marques de Almeida. Organizadores: Virginia Mantesso-Neto, Andre Bartoreli, Celso Dal Ré Carneiro, Benjamin Bley de Brito-Neves. 647 p. São Paulo. 2004. p. 77 – 93.

  • DILLENBURG, S.R. Oscilações Holocênicas do Nível Relativo do Mar Registradas na Sucessão de Fácies Lagunares na Região da Laguna de Tramandaí, RS. Pesquisas em Geociências 23. 1996. p. 17-24.

  • DILLENBURG, S.R. Laguna de Tramandaí: evolução geológica e aplicação da técnica de datação por termoluminecência na datação dos sedimentos lagunares. Instituto de Geociências, UFRGS, Curso de Pós-Graduação em Geociências, Porto Alegre, Tese de Doutorado. 1994. 143p.

  • LEINZ, V. B. e AMARAL, S. E. Geologia Geral. Ed. Nacional, São Paulo, SP. 1985. 397 p.

  • MARQUES, L.S. e ERNESTO, M. O magmatismo toleítico da Bacia do Paraná. In: ALMEIDA, F.F.M., Geologia do Continente Sul Americano: Evolução da Obra de Fernando Marques de Almeida. Organizadores: Virginia Mantesso-Neto, Andre Bartoreli, Celso Dal Ré Carneiro, Benjamin Bley de Brito-Neves. 647 p. São Paulo. 2004. p. 245 – 265.

  • ROISENBERG, A. e VIERO, A.P. O Vulcanismo Mesozóico da Bacia do Paraná do Rio Grande do Sul. In: Holtz M. e DeRos L. F. (eds.) Geologia do Rio Grande do Sul,CIGO/UFRGS. 2002. p. 355-374.

  • TOMAZELLI, L.J. e VILLWOCK, J.A. O Cenozóico do Rio Grande do Sul: Geologia da Planície Costeira. In: Holtz M. e DeRos L. F. (eds.) Geologia do Rio Grande do Sul, CIGO/UFRGS. 2002. p. 375-398.

  • TOMAZELLI, L.J. e VILLWOCK, J.A. Considerações sobre o ambiente praial de deriva litorânea de sedimentos ao longo do Litoral Norte do Rio Grande do Sul. CECO, Instituto de Geociências – UFRGS, Porto Alegre, RS – Brasil. Pesquisas 19(1): 3 –12.1992.

  • TOMAZELLI, L.J. e VILLWOCK, J.A. Geologia do Sistema Lagunar Holocênico do Litoral Norte do Rio Grande do Sul, Brasil. CECO, Instituto de Geociências – UFRGS, Porto Alegre, RS – Brasil. Pesquisas 18(1): 13 – 24. 1991.

  • TOMAZELLI, L.J. Contribuição ao Estudo dos sistemas Deposicionais Holocênicos do nordeste da Província Costeira do Rio Grande do Sul – com ênfase no sistema eólico. Curso de Pós-Graduação em Geociências. UFRGS. Tese de Doutorado. Porto Alegre.Brasil. 1990.

  • VILLWOCK, J.A. Geologia da Planície Costeira do Rio Grande do Sul, sul do Brasil. A Synthesis. Pesquisas 16: 5–49. CECO/IG/UFRGS. 1984.

  • VILLWOCK, J.A., TOMAZELLI, L.J., LOSS, E.L., DEHNHARDT, E.A; HORN, N.O; BACHI, F.A. e DEHNHARDT, B.A. Geology of the Rio Grande do Sul coastal plain. In: Rabassa, J. (Ed) Quaternary of South America and Antartic Peninsula. A.A. Balkema, Rotterdam. 4: 79–97. 1986.